No Brasil  tem muita gente que se chama  José:  filhos, pais, irmãos, cunhados, muitos amigos  e até gente que ainda não chegou!

É   tão familiar  que quando a gente ouve esse nome, ele se apresenta suave, tranquilo, sem criar surpresas.  Talvez por causa  do seu significado generoso, “ aquele que acrescenta” , talvez  pela  sua origem hebraica, o sonoro  Yossef.  Comum ,entre os judeus, na Idade Média,  esse nome ,só no final desta época, se popularizou na Espanha e na Itália por causa da veneração a São José. Em Portugal  Joseph foi encontrado em documentos no começo do séc XVI. Pelo menos são três personagens bíblicos que têm esse nome: José do Egito, José de  Arimatéia e José de Nazaré, personagem bíblico,  reverenciado como São José e declarado padroeiro  da Igreja Universal   em 1870 , pelo papa Pio IX .

Como São José é muito popular  , há muitas igrejas de São José, com características bem  diferentes. Escolhi três delas para visitar.

A Paróquia São José do Belém começou  a funcionar  em agosto de 1897, quando era apenas uma capelinha de aldeia. O bairro do Belém ,começou aí  e era repleto de fazendas, casas de campo e pomares .  Foi se mudando  de acordo com o crescimento do ritmo urbano. Com as casas se aglomerando  e as fábricas de tecido e vidro  se instalando, o bairro logo  se transformou em um bairro operário. Até meados de 1970, a igreja tinha muitos quadros e obras de arte em seu interior.  Uma amiga minha,  casou-se nessa Igreja em 1962. Ela disse que ao casamento foi lindo, a igreja bem clara, com as pinturas bem  iluminadas, antes das  reformas mal feitas que  descaracterizaram o belo  interior da igreja São José do Belém. Mas a forte vocação  missionária desta paróquia não foi afetada pela  época  difícil que se seguiu a esses desmandos.

A Igreja de São José do Jardim Europa, começou com o desejo do Arcebispo de São Paulo Dom Duarte Leopoldo e Silva de  criar novas paróquias em São Paulo. O primeiro projeto foi  a Paróquia São Norberto, cuja obra começou rapidamente. Porém, pouco tempo depois, perceberam–se sérias dificuldades na estrutura. A  comissão de obras resolveu, então, mudar a nova paróquia  para um outro  lugar. Com a mudança de planos , veio junto um novo projeto bem mais modesto a ser construído  num terreno doado na R. Dinamarca. O nome São José foi escolhido por ser o nome do doador do terreno. A construção foi indo bem rápido e  no dia 7 de março de 1930, foi assinado  o decreto oficial da criação da nova Paróquia delimitando sua área e desmembrando –a da   paróquia da Bela Vista, tornando-se assim , independente.

No dia 19 de março de 1930, às 9 horas celebrava-se a primeira missa na nova Igreja , que apesar de não estar pronta ainda, já estava bem adiantada  e com a cobertura pronta.

Esta Igreja é conhecida e muito frequentada por pessoas que mesmo que não morem no bairro, são atadas à sua religiosidade. Lá fui a muitos  casamentos, missas de sétimo dia, batizados. É bom encontrar pessoas conhecidas, que, não sei porque, só vejo lá!

Foi um prazer visitar e conhecer  a Igreja São José do Ipiranga dos Religiosos de Nossa Senhora de Sion Uma igreja ampla, bonita. O terreno onde seria construída a igreja, foi comprado em setembro de 1916 , em 1918 começou a construção e um ano depois ,  estava quase completamente terminada. Mesmo inacabada, era frequentada por muitos fiéis, que cada vez mais sentiam necessidade de uma paróquia que tivesse um papel  bem mais importante . Logo, esta  paróquia  foi criada canonicamente, em 25 de dezembro de 1920.

A Igreja estava lotada de gente,  na missa das 9:30 , e  assim que a missa acabou, todo mundo  foi para a padaria em frente que,  por sua vez também ficou lotada!

Esta igreja tem  dois tesouros da pintura acadêmica brasileira, pintados  em 1927,  São José Operário e A Morte de São José, quadros de Oscar Pereira da Silva, autor de pintura histórica, retratos, temas religiosos,  naturezas-mortas. A pintura religiosa tem sido  usada como forma de  catequese, até os nossos dias.

Esta igreja é da Congregação Nossa Senhora de Sion  e foi emocionante  ver a imagem da minha Nossa Senhora, que me seguiu e me protegeu por tantos   anos da minha vida, continuando , agora a  conduzir  , com sua  luz,   tanta gente e tantos moços  que lá estavam, em grupos tão alegres , de morrer de   inveja!

Compartilhe