Tio Salvio, pai de uma amiga que não sai do meu coração, me consolou , depois de um comentário triste de uma adolescente alegre:

– Tio, eu falo demais!

-Filha, você fala muito, mas não fala demais!

Foi o céu! Sempre tinha sido criticada por falar alto e muito e agora tinha sido habilitada para ser eu mesma. Aí, fui aprendendo a falar o que quero, mas não falar tudo o que quero! Difícil à beça!

Outro dia , encontrei um casal de amigos, andando no clube. Caminhamos juntos por quase uma hora, conversando. Contei deste encontro para minha irmã e ela perguntou:

– Como eles estão?

Aí, meu santo, sabe o que eu tive que responder?

– Não sei, falei sem parar, não deu tempo de eles contarem nada ,só ouviram..

Deu uma vergonha, um remorso, sei lá. Dessa vez, eu falei pra lá de demais e perdi muitos assuntos agradáveis, que teriam enriquecido meu repertório pessoal!

Fala-se muito, mas também fala-se demais, mesmo quando não se tem o que dizer.

Falar, contar, dizer, comentar demonstrar, compreender.

Obrigada, Houaiss, por oferecer tantos sinônimos para a palavra “falar”. Dá a oportunidade pra gente entender o que exatamente queremos dizer, seja muito, seja demais , até através dessas mídias modernas e rápidas, algumas vezes impessoais.

O computador e sua tela separam o mundo, enorme, generoso e maldoso, de nós, curiosos, criativos, generosos e maldosos também, e tornam a comunicação muitas vezes dispensável e , muitas vezes, imprescindível.

É muito bom receber mensagens via rede, quando são, particularmente, para mim: assuntos que eu gosto , convite para um cineminha, vídeos do meu sobrinho-neto, um alemãozinho fofésimo, que mora lá pras bandas da Angela Merkel. Não é delicioso ver as netas, minhas lindas , abraçadas ao Pluto, no dia 31 de dezembro? Tudo personalizado.

Mas tem uma coisa que me aborrece profundamente : mensagem copiar/ colar de textos falsos do Neruda, orações que ameaçam a gente, textos que chegam cortados, sem pé nem cabeça! E repetidos, muitas e muitas vezes! E aqueles assuntos antigos, “já era”, que são enviados ao nosso whatsapp, com um leve toque de “# falei “? Não dá! Mesmo sendo curtos , são mais que demais!

Agora, um mea culpa, sincero e pungente :

No dia do encontro das colegas do Sion, conversando com um grupinho de velhas amigas, eu disse que estava adorando ter um blog , porque eu achava que estava até falando menos .Uma delas perguntou:

– Mas pra que falar menos?

E não é que eu nem sei quem falou esta delícia? Eu estava falando …demais!

Compartilhe