Sempre gostei muito de andar pela cidade. São Paulo é meu berço e  a minha casa. Quando passeio pelas ruas, eu  vejo a sujeira, os buracos, a pobreza. Mas não me incomoda! Eu reparo mesmo é nas ruas com o piso desenhado com o  Estado de São Paulo, as raízes das árvores forçando as calçadas, crescendo mais do que se esperava delas,  aquele monte de fio enrolado que parece filme de terror de Wes Craven ! Tudo isso, também,  faz parte do cenário paulistano.

Mas São Paulo também é gente. Os mais variados tipos de pessoas, cruzando as  ruas, as  calçadas, andando pelos corredores  dos ônibus.

Resolvi, então, mostrar minha São Paulo ,não com palavras, mas com imagens, que apesar de não estarem  muito boas, mostram o que me chamou a atenção e que eu quero dividir com todo mundo.

Aqui é o prédio da Google, na Faria Lima. Eles colocam umas poltronas tipo puff  pra todo mundo sentar. As pessoas ficam lendo, mexendo no celular, trabalhando, Dá para ver no alto da foto.

Essa cena me chocou. Dentro do ônibus um homem corcunda, pobre, mal se via a cabeça. Mas uma atitude de cidadão : ele carregava seus pertences , dentro de um saco. Ele tinha coisas e tomava conta delas. Ele estava indo a algum lugar, usando o transporte público. Aliás o motorista não cobrou sua passagem!

Essa estátua é a da “Mãe Preta”. Ela carrega seu bebê no colo   Um garotinho, o Arthur, segura um  cachorrinho e observa esta mãe atentamente. Há algo de comovente  nesse relacionamento. Achei muito fofo!

Aqueles pontinhos no lado do prédio espelhado  são limpadores de janelas. Talvez eles admirem a vista da avenida movimentada , talvez gostem de fazer parte do reflexo do prédio do vizinho!

Tem uns tipos muito curiosos nas ruas. Este não só dançava, vestido de mulher, como patrocinou uma comoção em pessoas, que se chocaram com a atitude do moço ( ou moça?). Deu um bate-boca com alguns pastores evangélicos, que se ofenderam com essa pessoa, que também não levava desaforo para casa. Nisso juntou um monte de gente para assistir à “função”. A plateia se divertiu!

Este ciclista tem uma bicicleta ecológica, vive uma vida natural e carrega seu bichinho, que está muito velho para andar, atrás, no banco do  carona. Eu só tinha visto essa cena em programa americano!

E agora, a alegria e esperança da moçada na Faria Lima!

Essas meninas estavam indo a um bloquinho no Carnaval. Estavam alegres,super bonitinhas, com glitter no rosto e um arranjo na cabeça. Só. E precisa mais?

Esses meninos , calouros estavam pedindo dinheiro no sinal. Felicíssimos! Afinal entraram na Insper! Que orgulho!

É isso aí! É a gente, somos nós, de várias formas, vários jeitos de ser e de viver, todos  vivendo na mesma cidade, na mesma história!

Compartilhe